APPMBA se manifesta sobre a crise no PLANSERV

Postada, 09 de fevereiro de 2019 às 19h57

Levando em consideração o impasse entre o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed), a Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas da Bahia (Coopanest-Ba), e o Governo do Estado, que vem se arrastando desde o segundo semestre de 2018, ocasionando suspensão e cobrança pelos anestesistas desde 7 de janeiro do corrente ano, e na última quarta-feira,6, a paralisação de atendimentos eletivos de áreas da “coloproctologia, cirurgia de cabeça e pescoço, cirurgia vascular, mastologia, cardiologia intervencionista, cirurgia de coluna, cirurgia de ombro e cotovelo, anestesia, urologia e otorrinolaringologia, aos segurados do Planserv, mantendo apenas os de urgência e emergência, a Associação de Praças da Polícia e Bombeiro Militar - APPMBA, informa aos seus associados que segue atenta e vigilante ao fato ocorrido.

Ressalta também que, sempre preocupada com o bem estar dos policiais e bombeiros militares da Bahia e consciente da sua necessidade de uma assistência médica eficiente, desde 2015, a Entidade vem reivindicando e mobilizando contra o Caos no Plano. 

E por essa razão, no início de novembro de 2018, se reuniu com a coordenação do referido convênio, a fim de apresentar questões que já estavam causando frustrações aos militares estaduais (PMs e BMs) durante o uso do plano como cota, pagamento para realização de procedimentos, reembolso, atrasos e negativas nas autorizações, ampliação da rede de atendimento, dificuldades na marcação de consultas, negativas em procedimentos eletivos, programas de prevenção, Sistema Qualirede, entre outros.

Salienta ainda que, caso algum associado sofra perda ou dano devido à suspensão dos serviços como recusa de atendimento ou qualquer outra intercorrência, deve procurar o Departamento Jurídico da APPMBA, na Capital ou em uma das nove Regionais localizadas no Interior do Estado, para as devidas providências com ações de perdas e reparos. 

Destaca que, visando minimizar ou sanar as dificuldades encontradas pelos seus associados no uso do PLANSERV, a Associação já está discutindo com algumas operadoras de planos de saúde, propostas que possam ser adequadas as condições financeiras e necessidades de atendimento dos titulares, conjugues e filhos.

Por fim, por entender a importância do PLANSERV para os seus 500 mil usuários, a Entidade acredita na importância do diálogo entre os órgãos competentes e reconhece que os beneficiários precisam que o atendimento seja normalizado o mais breve possível.

Comente!