Com cartazes e faixas, APPMBA apresenta reivindicações da tropa durante cortejo do 2 de Julho

Postada, 13 de julho de 2016 às 14h04

Sempre buscando defender os interesses da categoria, a APPMBA mais uma vez, neste 2 de Julho, data em que celebra a Independência da Bahia, foi às ruas de Salvador, apresentar as reivindicações e insatisfações da tropa, ao governador Rui Costa.

Das ruas da Liberdade com destino à Praça Tomé de Souza, diretoria, associados, familiares e amigos, usaram faixas e banners para dizer que REPUDIAM a postura PARCIAL dos “DIREITOS HUMANOS”, a NEGLIGENCIA DOS GOVERNOS e a PREPOTENCIA DOS PODERES CONSTITUÍDOS.

Cobraram uma só corporação para os militares estaduais ativos e inativos (Art. 121-EPM), o cumprimento da lei da GAP, auxílio alimentação digno, pois com R$9,00 não se compra se quer 1Kg de feijão.

Também disseram não à concessão. Reafirmaram quererem solução para a questão do auxílio transporte.

Pedindo segurança para quem dá segurança, reivindicaram o PROHABIT e disseram que moradia digna, não é luxo. É sobrevivência!

Ressaltaram o direito ao adicional de insalubridade e periculosidade que a tropa não recebe.

Relembrando o que diz a CONSTITUIÇÃO FEDERAL em seu Art. 40 que a mulher deve trabalhar 5 anos a menos que o homem, relembraram do que foi prometido em 2014 e até hoje a promessa não foi cumprida. A Bahia encontra-se atrasada em relação a 14 estados que já regulamentaram a aposentadoria das policiais.

Também chamaram a atenção dos representantes dos direitos humanos solicitando que os mesmos não anulem o Art. 2 da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Entre outras reivindicações, a APPMBA questionou o reajuste do PLANSERV, reafirmando a qualidade do atendimento que não está bom na capital, na RMS e demais municípios que não tem redes conveniadas.

Abordou a questão dos proventos casados dos militares estaduais e a proposta do Novo Estatuto que foi discutido em 2013/2014 e que precisa retornar para avaliação das Associações representativas da classe e em seguida, ser votado na ALBA.

O presidente da Associação, Sgt PM Roque Santos, destacou a importância do ato. “Essa é uma forma importante de dialogar com o governo e a sociedade mostrando as necessidades e os anseios dos militares estaduais e aproveito a oportunidade para ressaltar ainda, que o comandante geral, Cel. PM Anselmo Brandão, tem abrido as portas para dialogar e atender demandas sejam individuais ou coletivas dentro das suas possibilidades.

Aplaudindo a iniciativa da APPMBA, policiais e bombeiros demonstram através de vários gestos, apoio à Entidade.

Comente!