Diretoria da APPMBA se reúne com Comandante Geral da PMBA

Postada, 20 de fevereiro de 2019 às 11h36

Sempre preocupados com as reivindicações da tropa, diretores da APPM se reuniram na tarde de ontem,19, com o comandante geral da PMBA, Cel PM Anselmo Brandão, no Quartel do Comando Geral, nos Aflitos, para apresentar ao gestor da pasta, demandas dos policiais militares.

Entre os assuntos discutidos, a diretoria questionou o número de vagas para promoção de praças, QOA, EPI no Carnaval de Salvador, estrutura dos portais de abordagem, direitos dos policiais recém formados e das das famílias dos policiais mortos em serviço ou em decorrência dele. 


No que tange a promoção dos Praças, o Comandante informou que está tendo toda cautela para que possa continuar promovendo anualmente, porém, os diretores solicitaram que fosse estabelecido para o cronograma de 2019, a promoção de 1500 Cabos, mas, o Cel PM Anselmo informou que devido as dificuldades orçamentárias, não seria possível, garantindo apenas, a promoção de 1000 Soldados.

Em relação ao número de vagas para promoção de Cabos, o comandante havia estabelecido o quantitativo de 600 vagas, mas, os diretores argumentaram a redução comparado a 2018 e que fosse garantindo ao menos, três turmas, alcançando assim, 900 vagas. Diante das fundamentações e atendendo a solicitação da APPMBA, no ato da reunião, foi mantido contato imediatamente com o diretor do IEP e garantido a manutenção das 850 vagas para o CEFS.


Quanto a promoção à Sub Ten, ainda está sendo avaliado o número de vagas para a próxima promoção. 

Também na oportunidade, foi abordada a ampliação do número de vagas para o QOA, sendo informado pelo comandante que existem dificuldades para a ampliação destas vagas, mas, a questão já está em estudos.

A direção da APPMBA solicitou ainda a garantia de EPIs para todo o efetivo empregado no Serviço do Carnaval, sendo garantido coletes balísticos para todos.


Sobre a estrutura oferecida aos policiais que irão trabalhar nos portais de abordagem, o comandante afirmou que será montada uma logística adequada para que os policiais desenvolvam as suas atividades com dignidade.
 
Quanto aos direitos dos policiais formados em 18/02 e que estão empregados no serviço momesco, estes receberão o pagamento da diária conforme a graduação, ou seja, receberão a diária do Carnaval de SD PM.


No que tange a proteção a família dos policiais, em especial os mortos em serviço ou em decorrência dele, a diretoria apresentou ao Comandante os prejuízos que as famílias dos policiais da 50ª CIPM mortos em serviço estão tendo e terão após o procurador da PGE desconhecer que o serviço de motopatrulhamento visa a manutenção da defesa da sociedade e da ordem, estando assim, os policiais, no cumprimento do dever legal. O parecer adia os direitos das famílias que já sofrem diariamente com a perda do ente querido. Inclusive, não é apenas a pensão especial que está sendo negada, mas também nao há garantia da pensão previdenciária ser vitalícia conforme lei 113.447/15. Houve inobservância do IPM, escala de serviço e tantos outros documentos que garantiam a família o que é direito.

Em resposta, Cel PM Anselmo Brandão garantiu que vai se reunir com a PGE em busca de apresentar o que for necessário para que haja mudança no parecer e garantia do direito das famílias.

Comente!